José Aldyr Gonçalves

Escritos de ontem, de hoje e de amanhã...

Textos

NÃO TIVE TEMPO
Não tive tempo de dizer ao tempo
Que reservasse no futuro um dia
Pra que eu dissesse, mesmo que ao vento
O quanto foi grande essa agonia

Não tive tempo de explicar, nem pude
O que naquele tempo eu só sabia
Que era um martírio cruel, interno, rude
A consumir-me a dignidade, dia-a-dia

Não tive tempo de pedir socorro
Nem revelar que ali eu me escondia
De um fato vil, insano, tenebroso
Que à tristeza e dor me conduzia

Não tive tempo de a tempo voltar
E consertar algumas atitudes
Pedir perdão, rever, reconquistar
Me defendendo, expor minhas virtudes

Não tive tempo mínimo de defesa
Também não tive tempo pra acusar
E assim, sem tempo, aprendi com o tempo
Que me restava a graça de esperar.

josealdyr@gmail.com
JOSÉ ALDYR GONÇALVES
Enviado por JOSÉ ALDYR GONÇALVES em 01/12/2009
Alterado em 20/06/2019
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original (Citar: Autoria de José Aldyr Gonçalves).


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras